A Ultrassonografia na gravidez

A Ultrassonografia é um exame que utiliza ondas sonoras de alta frequência para criar imagens do bebê em desenvolvimento, bem como dos órgãos reprodutivos da mãe. O número médio de exames de ultrassonografia varia conforme a gravidez.

Esse importante exame pode ajudar a monitorar o desenvolvimento fetal normal e rastrear possíveis problemas. Juntamente com uma ultrassonografia padrão, existem vários ultrassons mais avançados – incluindo um ultrassom 3D, um ultrassom 4D e um ecocardiograma fetal, que é um ultrassom que examina detalhadamente o coração do feto.

Existem várias razões para se fazer uma Ultrassonografia  durante a gravidez. O seu médico também pode solicitar novos exames se detectar um problema em uma ultrassonografia ou exame de sangue anterior. As Ultrassonografias também podem ser feitas por razões não médicas, como produzir imagens para os pais ou determinar o sexo do bebê. Destaca-se que a tecnologia dos novos equipamentos de Ultrassonografia são seguros para mãe e o bebê.

Durante o primeiro trimestre de gravidez

No primeiro trimestre da gravidez, os exames podem ser feitos para:

  1. confirmar gravidez;
  2. verificar o batimento cardíaco fetal;
  3. determinar a idade gestacional do bebê e estimar uma data de nascimento;
  4. verificar se há mais de um bebê – gêmeos;
  5. examinar a placenta, útero, ovários e colo do útero;
  6. diagnosticar uma gravidez ectópica (quando o feto não se apega ao útero);
  7. pesquisar qualquer crescimento anormal no feto;

Durante o segundo e terceiro trimestres da gravidez

Nesse tempo a ultrassonografia pode ser feito para:

  1. monitorar o crescimento e a posição do feto (coluna, ossos, cabeça e membros);
  2. determinar o sexo do bebê;
  3. confirmar gestações múltiplas;
  4. observar a placenta para verificar se há problemas, como placenta prévia (quando a placenta cobre o colo do útero) e descolamento da placenta (quando a placenta se separa do útero antes do parto);
  5. verificar as características da síndrome de Down (normalmente feita entre 13 e 14 semanas);
  6. verificar se há anomalias congênitas ou defeitos congênitos;
  7. examinar o feto para anormalidades estruturais ou problemas de fluxo sanguíneo;
  8. monitorar os níveis de líquido amniótico;
  9. determinar se o feto está recebendo oxigênio suficiente;
  10. diagnosticar problemas com os ovários ou útero, como tumores na gravidez;
  11. medir o comprimento do colo do útero;
  12. orientar outros exames;
  13. confirmar ou não a morte do bebê.
ultrassom ponta grossa pr

ULTRASSONOGRAFIA EM GESTANTES / OBSTETRÍCIA

Gestações simples e gemelares

  • Obstétrico inicial por via transvaginal;
  • Obstétrico convencional de primeiro trimestre;
  • Obstétrico morfológico de primeiro trimestre (11 a 13 semanas e 6 dias);
  • Obstétrico morfológico de segundo trimestre (20 a 24 semanas);
  • Obstétrico convencional de segundo trimestre;
  • Obstétrico com Doppler;
  • Obstétrico 4D com HDlive®

O HDlive® é uma ferramenta inovadora que oferece aos pais e médicos um realismo anatômico excepcional, com aumento da percepção de profundidade, revelando detalhes escondidos e fornecendo uma maior compreensão da anatomia relacional.
O HDlive® fornece uma fonte de luz virtual móvel possibilitando ao médicoultrassonografista posicionar livremente a luz em qualquer ângulo para iluminar as áreas de interesse.
O HDlive® também ajuda a fornecer uma clareza de imagem extraordinária, podendo acelerar o tempo de exame, devido à capacidade de revelar detalhes finos

Veja a lista completa de exames

Seu principal objetivo é o rastreamento de anomalias cromossômicas e de cardiopatias. O exame pode ser realizado entre 11ª e 14ª semanas de gestação e inclui o estudo da anatomia fetal, a medida da translucência nucal, a avaliação da presença do osso nasal e da função cardíaca através do Doppler do Duto venoso e da Válvula Tricúspide.

É importante ressaltar que se trata de exame de rastreamento com alta sensibilidade mas não é  diagnóstico. Portanto um bebe com a translucência nucal aumentada pode não ter nenhum tipo de patologia ou Síndrome.

Uma alteração dos parâmetros analisados nessa fase serve para que tenhamos um acompanhamento mais diferenciado desse bebe e se necessário a realização da amniocentese ou da biopsia de vilo corial.

Destaques